No quarto dia de greve, as manifestações não afetam apenas o setor de combustíveis, já é possível identificar a falta de produtos alimentícios. Em alguns mercados da cidade leite, frutas e verduras estão em baixa.

Em um dos locais, a previsão é de que a carne disponível acabe amanhã (25). Uma alternativa encontrada por um dos estabelecimentos foi a revenda de algumas verduras produzida por colonos do município. De acordo com a administração dos mercados, os caminhões com leite ou carne também não estão passando.

Comerciantes, entidades e grupos de pessoas apoiam a paralisação e realizam doações de alimentos aos motoristas. Na tarde de quarta-feira (23), agricultores também marcaram presença e apoiaram a greve.

Combustível

Não há mais gasolina e álcool em Palmeira. Em contato com os comércios de combustíveis da cidade é possível encontrar apenas diesel, não há mais álcool ou gasolina para abastecer. No posto de combustível de Colônia Maciel, inclusive, o estoque de diesel também chegou ao fim.

Aulas suspensas

No fim da tarde desta quarta-feira (23), instituições como Secal, Faculdade Santana, Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), Faculdade Sagrada Família (FASF)  e Cescage suspenderam as aulas devido à paralisação. A orientação é de que os estudantes acompanhem os canais de comunicação das respectivas instituições de ensino para saber sobre a continuidade da suspensão.

Ônibus

Outro setor impactado com a paralisação é o transporte coletivo. Com a falta de combustível, a Princesa dos Campos solicita que antes de se deslocarem às rodoviárias, as pessoas acessem o site da empresa para consultar os horários de ônibus disponíveis.

Foto:Elder Scolimoski